Hélivio Romero/ Estadão
Hélivio Romero/ Estadão

Líder do PPS na Câmara diz que decisão do Senado tira a crise da presidência

Partido será um dos que integrarão a base aliada do vice-presidente Michel Temer

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 09h37

BRASÍLIA - Um dos primeiros líderes partidários da Câmara a se manifestar após a aprovação pelo Senado do afastamento da presidente Dilma Rousseff, o deputado Rubens Bueno (PPS-PR) disse hoje que a prioridade agora é formar um governo "o mais rápido possível" e apresentar medidas para recuperar a economia. "A crise saiu da presidência", afirmou por meio de nota. O PPS será um dos partidos a integrar a base aliada do vice-presidente Michel Temer.

Nesta manhã, o afastamento provisório da petista foi aprovado por 55 votos à favor e 22 contra. "Agora abrimos espaço para a construção de um novo governo que terá um desafio enorme diante do desmantelo do Estado promovido pelo PT", comentou. O líder destacou que há um consenso entre economistas da profundidade da crise econômica e lamentou que as políticas econômicas e sociais construídas ao longo da última década se desintegraram.

Na avaliação de Bueno, Dilma selou seu destino. "No governo, longe do carimbo de boa gerente, ela se mostrou incompetente, arrogante e incapaz de reverter alguns estragos que seu antecessor Lula já havia feito, ao iniciar uma escalada irresponsável de gastos públicos. Botou os pés pelas mãos e, como ela própria disse durante a campanha, fez o diabo para se reeleger", disse. Agora, enfatizou, é o momento de reverter o retrocesso econômico. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.