Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Líder do PMDB na Câmara quer acesso à delação de ex-diretor da Petrobrás

Eduardo Cunha defende que CPI mista da estatal deve ler depoimento do ex-diretor antes de ouvi-lo

RICARDO BRITO, Estadão Conteúdo

09 de setembro de 2014 | 19h44

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), defendeu nesta terça-feira, 9, que a CPI mista da Petrobrás tenha acesso à íntegra da delação premiada de Paulo Roberto Costa antes de o colegiado tomar o depoimento do ex-diretor da Petrobrás. Parlamentares da oposição defendem que a comissão tome o depoimento de Costa rapidamente, mesmo sem a conclusão do acordo de delação premiada que o ex-diretor está fazendo com a Justiça Federal do Paraná.

Conforme adiantou o Estado na sexta-feira, 5, o ex-diretor citou pelo menos 32 parlamentares envolvidos em suspeitas de recebimento de propina sobre contratos com a estatal. Entre os citados estão importantes parlamentares do partido de Eduardo Cunha, como os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), e do Senado, Renan Calheiros (AL).

O líder do PMDB afirmou que a delação premiada ainda não foi concluída ainda e que os casos revelados até agora, como o de Renan, não tem a ver com a Petrobrás. Ele disse que é preciso, primeiro, ver em qual contexto o nome dos políticos foram citados. "Ele não vai interromper o depoimento para ir ao Congresso", disse Cunha. "Tem que ter o teor do depoimento antes", completou.

Depoimento. O peemedebista disse que vai participar da reunião convocada para esta quarta-feira, 10, pela manhã, pelo presidente da CPI mista, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), para definir o que a comissão vai fazer em relação a Costa. À tarde, a CPI mista vai ouvir o depoimento de outro ex-diretor, Nestor Cerveró. Ele foi o responsável pelo resumo executivo que embasou a decisão do Conselho de Administração da estatal, presidida à época pela presidente Dilma Rousseff, em favor da compra de metade da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). Em nota, Dilma disse que não aprovaria a operação se tivesse tido acesso a todas as cláusulas omitidas do resumo apresentado por Cerveró.

Tudo o que sabemos sobre:
CPIPetrobrasdelaçãoEduardo Cunha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.