Líder do PFL quer ir à Justiça contra MP do Orçamento

O líder do PFL na Câmara, deputado Rodrigo Maia (RJ), disse que se depender de sua vontade o partido contestará na Justiça a decisão do governo em editar medidas provisórias liberando cerca de R$ 26 bilhões em créditos extraordinários, por conta da demora em aprovação do Orçamento da União. "Essa decisão do governo é claramente inconstitucional e demonstra um abuso de poder. Não podemos concordar com isso", diz Maia.O deputado lembra que a decisão de recorrer à Justiça precisará ser ratificada pela bancada do PFL. Mas ele não tem dúvidas de que esse é o único caminho a ser seguido. "Numa democracia, qualquer governo que não tem maioria, negocia dentro do Congresso para conseguir aprovar os projetos de seu interesse", disse. "Somente um governo como o do presidente Lula apela para recursos diferentes quando não consegue maioria", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.