Líder do PFL condiciona fim da obstrução a negociações

O líder do PFL na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA), disse nesta quarta-feira que está disposto a negociar uma saída para possibilitar a retomada das votações na Casa. O partido vem obstruindo as votações desde o primeiro turno das eleições municipais. Aleluia apresentou alguns pontos que precisam ser negociados para que o partido saia da obstrução. Entre eles, uma nova relação do Executivo com o Congresso em torno das medidas provisórias. "Não se pode editar medidas provisórias para tudo", afirmou. "O governo não usa mais o instrumento do projeto de lei e esquece que MP é só para casos de urgência e relevância". O deputado defendeu a rejeição de algumas das 21 MPs que estarão trancando a pauta do plenário até a próxima semana, quando a Câmara pretende retomar as votações. Outro ponto que ele reivindica é a rejeição do projeto que cria o Conselho Federal de Jornalismo. Para Aleluia, os líderes devem também estabelecer uma pauta de prioridades para votação. Ele citou a reforma política como um dos assuntos que devem ser tratados. O deputado considerou ainda que há projetos importantes que precisam ser votados, entre eles o da Lei de Falências, o da Lei Biossegurança e o da Lei de Informática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.