Líder do MST é preso em Pernambuco

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e líder do movimento em Pernambuco, Jaime Amorim, foi preso nesta segunda-feira, 21, quando saía do município de Itaquitinga, a 84 quilômetros do Recife. Ele estava com prisão preventiva decretada com base no processo que apura a depredação do consulado dos Estados Unidos, no bairro da Boa Vista, liderada por Amorim em um protesto contra o governo Bush, no dia 5 de novembro do ano passado. Pedras e tinta foram jogados no prédio e o policial militar Almir José de Barros foi atingido com uma lixeira. De acordo com o juiz Joaquim Pereira Lafayete Neto, houve desobediência a ordem policial, deterioração da coisa alheia e incitação ao crime. Lafayete alegou ainda que Amorim tem antecedentes e não tem endereço fixo."O Juiz não diz a verdade quando diz que Jaime não tem endereço fixo", complementou Edílson Barbosa, integrante do movimento.Advogados, políticos ligados à questão agrária e movimentos de direitos humanos se reuniram com o presidente do Tribunal de Justiça, Fausto Freitas, no final da tarde, e entraram com pedido de Habeas Corpus.Amorim foi preso logo depois de participar do sepultamento de Josias Barros Ferreira, de 28 anos, uma das principais lideranças do MST no Estado. Deixava a cidade para se dirigir a Vitória de Santo Antão, na região metropolitana, para o enterro de outro dirigente do MST, Samuel Matias Barbosa, de 34 anos. Os dois foram assassinados a tiros, na quinta-feira, no acampamento Alto da Balança, por integrantes do acampamento, dissidentes, que queriam tirar a bandeira do movimento do acampamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.