Líder do MST é assassinado no Pará

O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na região de Irituia, leste do Pará, Ivo Laurindo do Carmo, de 34 anos, foi assassinado ontem com requintes de cruedade e teve seu corpo jogado na mata próximo ao km 19 da rodovia Belém-Brasília. A polícia abriu inquérito para apurar o caso e ainda não tem pista sobre os autores do crime. "Não houve tiro, foi tudo a golpes de terçado (espécie de facão) e pauladas em várias partes do corpo", disse o legista do Instituto Médico Legal de Belém, Mário Granhem. A polícia de Irituia, município onde o lavrador exercia forte liderança junto aos trabalhadores sem terra, disse que a vítima já tinho sido presa por comandar invasões de fazendas na região. Carmo, segundo seu irmão, Guilherme Silva, teria participado da ocupação de fazendas no município de Mãe do Rio e também da fazenda "Chão de Estrelas", pertencente ao ex-senador Jader Barbalho. Para o coordenador do MST no Estado, Raimundo Nonato Coelho de Souza, a absolvição dos 149 policiais militares acusados de matar 19 sem terra em Eldorado dos Carajás foi um "estímulo ao prosseguimento da matança de trabalhadores rurais no Pará". Ele afirmou que o movimento não vai se intimidar com esse crime. "As ocupações de terra vão continuar, mesmo com a impunidade dos assassinos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.