Líder do MST de Pernambuco depõe e pode ser liberado

O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST) em Pernambuco e integrante da direção nacional do movimento, Jaime Amorim, depõe na tarde desta segunda-feira, 28, e a expectativa é de que seja libertado. Ele está preso desde o dia 21 e foi denunciado pelo Ministério Público por depredação ao patrimônio público e incitação ao crime, quando comandou protestos em frente ao consulado norte-americano, em Recife, em novembro do ano passado. O MST divulgou uma carta escrita por Amorim na prisão, na qual afirma que o MST pode contribuir para a "construção de uma nova proposta para o sistema prisional do País". "O sistema prisional no Brasil é cruel, é uma fábrica de formação de delinqüentes, aqui não se prepara ninguém para viver na sociedade, aqui só se empurra as pessoas para a vida do submundo". Ele está preso no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna-Cotel, no município de Abreu e Lima. Ele agradece o apoio e solidariedade e pede: "Não vamos nos deixar levar pela emoção, não vamos ceder às pressões políticas", referindo-se a mobilizações anunciadas na semana passada - e não concretizadas - visando à sua libertação. "Vamos aguardar a convocação da direção do MST que, em conjunto com as organizações amigas, saberão o momento certo da convocação da força de nossa base para lutar contra mais uma arbitrariedade cometida pelo Estado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.