Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Líder do governo nega que Dilma vai entregar defesa do impeachment na terça

José Guimarães desconversou sobre estratégia que havia sido especulada pelo presidente da Câmara e réu no Supremo Tribunal Federal acusado de corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2016 | 12h52

Brasília - O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), negou que a presidente Dilma Rousseff tenha definido que entregará sua defesa no processo de impeachment na próxima terça-feira, 22, como anunciado pelo deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), na manhã desta sexta-feira, 18. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que a petista iria antecipar sua defesa. Ambos atribuíram as informações a Guimarães.

"Não disse isso. Comentei na reunião de líderes que o governo tem pressa em resolver, em enterrar esse vivo-morto", disse Guimarães, salientando que ainda não falou com governo sobre a apresentação da defesa.

Cunha, que também é réu no Supremo Tribunal Federal acusado de corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato, realizou sessão plenária nesta sexta-feira, abrindo a contagem do prazo para a apresentação da defesa e elaboração do parecer pelo seguimento ou não do processo de impeachment.

A partir desta sexta, Dilma tem até dez sessões plenárias para entregar sua defesa. O relator do processo, Jovair Arantes (PTB-GO), terá outras cinco sessões para elaborar o parecer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.