Líder do governo diz que não há necessidade de minipacote

O líder do governo na Câmara, deputado ArnaldoMadeira (PSDB-SP), disse nesta quinta-feira, em entrevista, que não há necessidade de o Governo enviar o minipacote de medidas a fim de tranqüilizar o mercado financeiro. "O Brasil não está numa situação de tal gravidade", disse o deputado. Em Brasília, crescem as expectativas de que a reunião entre o presidente Fernando Henrique Cardoso e os ministros Pedro Malan, Pedro Parente e Sérgio Amaral seja para discutir o anúncio de medidas emergências.Madeira se reuniu hoje à tarde com os ministros da Casa Civil, Pedro Parente, e da Secretaria-Geral da Presidência, Euclides Scalco, para tratar das pautas na Câmara. Segundo ele, nenhum dos dois ministros falou sobre a possibilidade de envio de um minipacote econômico para o Congresso. Na opinião de Madeira, os deputados devem contribuir para proporcionar mais tranqüilidade ao mercado financeiro votando três projetos que estão em tramitação na Câmara. Um deles trata do fim da cumulatividade do PIS. O outro refere-se a uma nova regulamentação do sistema financeiro, alterando o artigo192 da Constituição. E o terceiro é um projeto de lei relativo a uma nova contribuição para os Fundos de Pensão Complementar Madeira admitiu que os três assuntos são polêmicos, além da dificuldade do período pré-eleitoral, quando a Casa deve ter quorum reduzido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.