Líder do DEM pede nova investigação sobre Valério

O líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres (GO), recorreu ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e à Polícia Federal (PF) pedindo que seja investigada a denúncia de que o operador do mensalão, Marcos Valério de Souza, continuaria com poder de influência no governo federal a ponto de favorecer empresas contratadas consultoria onde ele atua.

ROSA COSTA, Agência Estado

30 de novembro de 2011 | 17h37

Marcos Valério foi apontado pelo Ministério Público como operador do esquema do mensalão, como ficou conhecido a prática alimentada pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de pagar propina a parlamentares em troca do apoio político no Congresso.

No entender do líder democrata, "tudo indica que o governo federal continua beneficiando o operador do chamado mensalão do PT". "O que, por si só, justifica a sempre cuidadosa atuação do Ministério Público federal e da Polícia Federal, a fim de investigar a práticas de ilícitos por parte não apenas de Marcos Valério de Souza, como também dos agentes públicos envolvidos", alegou.

O líder se baseou em reportagem do jornal O Globo, segundo a qual Marcos Valério obteve contratos no valor de R$ 52 milhões para empresas de seu interesse com os Ministérios do Turismo, do Esporte, de Minas e Energia e da Saúde e ainda com a Valec - Engenharia, Construções e Ferrovias S.A.

Tudo o que sabemos sobre:
Marcos ValérioinvestigaçãoDEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.