Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Líder do DEM no Senado coleta assinaturas para instalar CPI do BNDES

Ronaldo Caiado (GO) vê pouca transparência em transações feitas pelo banco e defende comissão para investigar empréstimos

ELIZABETH LOPES, O Estado de S. Paulo

10 Fevereiro 2015 | 12h01

São Paulo - O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), começou a coletar assinaturas para tentar instalar uma CPI do BNDES no Senado Federal e uma CPI mista - composta por deputados e senadores - para investigar empréstimos concedidos pela instituição. Em sua conta oficial no Twitter, o senador diz: "Lamentavelmente, o BNDES deixou de ser um banco de fomento econômico e social para ser financiador dos amigos do PT."

Para Caiado, os investimentos públicos precisam de transparência e, portanto, o objetivo dessas comissões é investigar empréstimos que ele considera suspeitos, citando os concedidos à JBS Friboi, à Sete Brasil e para projetos em Cuba, Equador e Venezuela.

"JBS Friboi, que já denunciei várias vezes, recebeu mais de R$ 8 bilhões, coincidentemente, o maior doador da campanha à reeleição de Dilma", diz ele no Twitter. Em outro post, o senador complementa: "Para o porto de Mariel, na ilha dos irmãos Castro, o BNDES desembolsou R$ 1 bilhão. Mais uma vez, operação classificada como sigilosa."

Para ser instalada, a CPI precisa da assinatura de 27 senadores e no caso da instalação da CPI Mista (CPMI), são necessários 27 senadores e 171 deputados.

Caiado afirma ainda que de 2006 a 2014 (gestões do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff), o endividamento do BNDES com o Tesouro cresceu 4.800%. "Como podem ver, há indícios mais que suficientes para uma CPI", emendou. E promete: "A oposição que não dá trégua não vai se omitir diante do uso de órgãos públicos em nome de um projeto de poder."

Na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou a criação de uma comissão na Casa para investigar as denúncias de corrupção envolvendo a Petrobrás.

Mais conteúdo sobre:
Ronaldo Caiado BNDES Senado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.