Líder do DEM na Câmara diz que é 'equívoco' não pautar projeto contra conselhos populares

Proposta que cria nove instâncias de negociação e comunicação com a sociedade foi editada na semana passada por um decreto assinado por Dilma

Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

05 Junho 2014 | 18h30

BRASÍLIA - O líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), classificou nesta quinta-feira, 5, de "equivocada" a decisão do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), de não pautar o projeto que visa a sustar os efeitos de um decreto da presidente Dilma Rousseff que cria conselhos populares.

Mendonça Filho também disse que discorda da avaliação de Alves, que em entrevista exclusiva ao Broadcast afirmou que a oposição utiliza um discurso injusto e "político-eleitoral" nas críticas à decisão de Dilma. "O Conselho não pode ter uma força maior do que o voto", disse o deputado do DEM. "Do contrário, você governaria só com conselhos".

Na semana passada, Dilma editou um decreto que cria nove instâncias de negociação e comunicação com a sociedade. A norma, prevista pelo Planalto desde 2010, teve sua redação acelerada a partir das manifestações do ano passado. 

Para Mendonça, autor do projeto que quer derrubar a norma editada por Dilma, as queixas da oposição não são eleitorais. "Mesmo se não fosse um ano de eleição, eu adotaria a mesma postura. Estou fazendo uma defesa institucional, porque é uma agressão ao Poder Legislativo", avaliou. Ele também argumentou que sua proposta deveria ser pautada, uma vez que conta com o apoio de 10 partidos na Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.