Líder de quadrilha confessa assassinato de senador há 19 anos

Líder disse que Olavo Pires foi morto em razão de suposta dívida relacionada a receptação de carros furtados

do estadao.com.br

18 de fevereiro de 2009 | 09h33

 O líder de uma quadrilha especializada em assaltos a bancos e a carros-fortes, apresentada nesta terça-feira em Belo Horizonte pela Polícia Civil de Minas Gerais, confessou, em depoimento dado à polícia e ao Ministério Público, ser o autor do assassinato do senador goiano Olavo Pires, crime ocorrido há quase 19 anos. O depoimento foi gravado.   Nas imagens, João Ferreira Lima, o "João de Goiânia", afirma que, usando uma metralhadora, disparou 16 vezes contra Olavo, sendo que 11 disparos atingiram somente a cabeça da vítima. "Ele (o senador) foi morto por um rapaz meio nervoso, que não gostava de levar desaforo para casa e que gosta muito de arma. Hoje esse rapaz já está mais velho".  A quadrilha, formada por seis pessoas, atuava nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná e Rondônia e foi presa no último dia 15 após investigações que começaram em 2007.  O líder dela afirmou, ao confessar a norte do senador, que Olavo foi morto em razão de uma suposta dívida relacionada a receptação de carros furtados.  Olavo Gomes Pires Filho Pires, deputado federal (1983-1987) e senador (1987-1990), foi morto aos 52 anos no dia 16 de outubro de 1990, em frente a sua empresa, uma revendedora de máquinas pesadas, região central de Porto Velho. O político disputava o segundo turno das eleições para o governo de Rondônia e liderava as pesquisas de intenções de votos. 

Tudo o que sabemos sobre:
Olavo Pires

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.