Líder de garimpeiros é morto no Sul do Pará

O presidente do Sindicato dos Garimpeiros de Curionópolis, no sul do Pará, Antonio Clênio Cunha Lemos, 36 anos, foi morto com quatro tiros na madrugada de hoje dentro da sede da entidade por um pistoleiro que se aproveitou da escuridão para fugir. Segundo um adolescente que testemunhou o crime e está sob proteção da polícia, o assassino bateu na porta do sindicato e disse: "Até que enfim te encontrei, desgraçado". O delegado Francisco Eli, que investiga o crime, trabalha com duas hipóteses: vingança ou disputa pelo sindicato entre os grupos rivais, um deles ligado ao ex-agente do antigo Serviço Nacional de Informações (SNI), coronel Sebastião Curió, atual prefeito de Curionópolis pelo PMDB. O clima é tenso na região desde a semana passada, quando 6 mil garimpeiros tentaram entrar no garimpo de Serra Pelada, distante 35 km de Curionópolis, mas foram impedidos por outros três mil garimpeiros ligados a Curió. O adolescente que testemunhou o crime contou aos policiais que Lemos não tinha o costume de abrir a porta do sindicato para ninguém durante a noite. Esse é um indício de que o pistoleiro provavelmente era alguém que ele conhecia. Além disso, nos últimos dias, o sindicalista vinha dizendo pela cidade que se alguma coisa lhe acontecesse a responsabilidade seria de Curió. O prefeito não foi encontrado para falar sobre o crime. Ele estaria em Serra Pelada comandando a resistência de seus partidários para evitar a invasão da área por garimpeiros ligados ao líder dissidente do sindicatro, Luís da Mata, de quem Lemos era amigo. O secretário de Defesa Social do Pará, Paulo Sette Câmara, informou que uma solução negociada para a entrada dos garimpeiros em Serra Pelada está sendo buscada há uma semana por representantes dos garimpeiros, do Ministério Público e do Tribunal de Justiça. As Polícias Civil e Militar mandaram reforços para o garimpo. A estrada que dá acesso a Serra Pelada está bloqueada há uma semana por três mil garimpeiros. Por decisão da Justiça de Curionópolis, a assembléia geral do sindicato, marcada para a terça-feira, foi adiada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.