Alexssandro Loyola/Divulgação
Alexssandro Loyola/Divulgação

Líder da oposição cobra posicionamento do governo após senadores serem cercados na Venezuela

Deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) criticou o fato de senadores brasileiros terem sido cercado por manifestantes pró-Maduro no país vizinho

Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

18 de junho de 2015 | 16h30

Brasília - Líder da Minoria na Câmara, o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) cobrou na tarde desta quinta-feira, 18, um posicionamento do governo brasileiro devido as críticas de manifestantes pró-Maduro que cercaram o comboio de senadores brasileiros que ficou preso no trânsito em missão oficial na Venezuela. De acordo com o parlamentar, a van foi cercada e apedrejada quando a comitiva deixou o aeroporto. Os senadores devem retornar ao Brasil.

"Espero que o governo brasileiro tome medidas enérgicas. Se o governo Dilma quer tratar isso do tamanho que merece, deve chamar o embaixador do Brasil em Caracas de volta", afirmou Bruno Araújo. "O Itamaraty tinha que cobrar segurança. Não era uma visita de turismo. Era uma visita de Estado", disse do líder da Minoria.

Estavam no veículo os senadores Aécio Neves (PSDB), Aloysio Nunes (PSDB), Cássio Cunha Lima (PSDB), Ronaldo Caiado (DEM), Agripino Maia (DEM) e Sérgio Petecão (PSD).

O deputado disse ter falado por telefone com Aécio e disse não ter informação de feridos. "A van estava se deslocando, foi apedrejada e impedida de se deslocar. O governo venezuelano não deu nenhum tipo de segurança. Estão retornando ao Brasil por impossibilidade de cumprir a missão", afirmou Bruno Araújo.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaPSDBCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.