Líder confia em entendimento entre Serra e Aécio para 2010

Aníbal disse que não acredita que paulistas tenham interferido na disputa em BH com candidato de Aécio

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2008 | 17h59

O líder do PSDB na Câmara, deputado José Aníbal  (PSB), disse nesta terça-feira, 4, que confia num entendimento entre os governadores Aécio Neves (MG) e José Serra (SP) e na união do partido na eleição presidencial em 2010. Após um encontro com o governador mineiro, Aníbal disse que não acredita que tucanos paulistas tenham interferido na disputa em Belo Horizonte para tentar derrotar Márcio Lacerda (PSB), que foi eleito com apoio de Aécio, numa polêmica aliança com o prefeito Fernando Pimentel (PT).  Em entrevista ao Estado, Lacerda disse que teve "notícias" de que seu adversário no segundo turno, o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB-MG), contou com um apoio financeiro "muito forte vindo de São Paulo". O prefeito eleito sugeriu que esse apoio partiu de "correntes que não queriam o sucesso do governador (de Minas)" na eleição municipal, na qual jogou boa parte do seu capital político na defesa da tese da "convergência" entre tucanos e petistas. A declaração de Lacerda foi interpretada como uma referência velada a Serra, que disputa com Aécio a indicação como próximo presidenciável tucano.  "Não acredito que tenha havido qualquer intromissão - ainda mais uma intromissão dessa natureza - na eleição daqui feita por tucanos", afirmou Aníbal. O deputado foi um dos principais aliados da candidatura de Geraldo Alckmin à prefeitura de São Paulo, que contou com o apoio de Aécio.  A candidatura do ex-governador tucano acabou por rachar o PSDB paulista, já que o grupo ligado a Serra trabalhou pela eleição de Gilberto Kassab (DEM). "Fico muito feliz com a vitória do Márcio Lacerda. É uma pessoa que conheço pessoalmente. Até mandei um testemunho de amizade, de consideração a ele, uma semana antes da eleição no segundo turno", ressaltou Aníbal.  Na noite de seguna, Aécio foi questionado sobre as declarações de Lacerda, mas evitou o assunto. "Na verdade, são coisas de campanha e é natural que candidatos tenham apoio de, enfim, de fora do seu Estado, desde que os apoios tenham sido oficializados, contabilizados. Eu não tenho nenhum comentário a fazer sobre isso". Unidade   Para o líder do PSDB na Câmara, o instrumento das prévias partidárias é importante no caso de disputa pela indicação de candidaturas para o Executivo. "Se for necessário, sim. Como princípio, como política programática de um partido grande como o PSDB, você eventualmente tem que poder recorrer a uma prévia quando há uma disputa".  Aníbal, no entanto, disse que não acredita num embate entre os dois governadores. "O PSDB sabe como ganha a eleição, com unidade. E sabe como perde, com divisão. Como nós não vamos caminhar na divisão, nós vamos para a união, Aécio e Serra estarão juntos e certamente o PSDB vai poder voltar a dirigir o Brasil".   Utopia  Para ele, o novo presidenciável tucano deverá apresentar como credenciais uma "postura convergente, da busca da melhor convergência, construindo uma nova utopia para o Brasil". "O Plano Real, não vamos esquecer, foi uma utopia. Muita gente achava que era pré-eleitoral. Veio para ficar e deu rumo ao País. Nós estamos precisando de uma nova utopia e certamente o PSDB vai construí-la para as eleições de 2010".  Perguntado sobre o "namoro" do PMDB com o governador mineiro, disse que acredita que Aécio "tem todas as condições de contribuir decisivamente" para atrair o partido para uma coligação em torno de uma candidatura tucana na próxima eleição presidencial.  No almoço com Aníbal, o governador de Minas reforçou os pedidos para que a bancada tucana trabalhe pelo adiamento da tramitação da reforma tributária e se esforce para impedir que na proposta orçamentária para 2009 os Estados exportadores sejam prejudicados no bolo de recursos destinados a ressarcir as perdas com a Lei Kandir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.