Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Licença de Kassab ainda não foi publicada no Diário Oficial de São Paulo

Ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações no governo Temer, o principal líder do PSD iria assumir como secretário-chefe da Casa Civil do governo João Doria 

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2019 | 09h38

Embora tenha anunciado que se licenciaria do cargo para se defender das acusações de corrupção no caso JBS, o ex-ministro Gilberto Kassab (PSD) permanece como secretário-chefe da Casa Civil do governo João Doria (PSDB) em São Paulo.

A licença de Kassab ainda não foi publicada no Diário Oficial do Estado e o nome do secretário aparece nos seis decretos publicados nesta quinta-feira, 3, por Doria. As medidas tratam de controle de gastos e reestruturação da máquina estadual anunciadas pelo tucano em sua posse, no dia 1 de janeiro.

Questionado, o governo de São Paulo informou que o ofício foi mandado na quarta-feira pedindo a licença. Por conta da burocracia, não houve tempo hábil para a informação estar publicada nesta quinta. Segundo o governo, a medida deve ser publicada na sexta com data retroativa. 

Kassab não participou da primeira reunião do secretariado na quarta-feira. Em seu lugar estava o secretário-adjunto Antonio Carlos Malufe. 

Procuradoria-Geral da República afirmou que Gilberto Kssab teria recebido R$ 58 milhões do grupo J&F entre os anos de 2010 e 2016. Em 19 de dezembro, ele foi alvo de busca e apreensãoEm entrevista exclusiva ao EstadoKassab disse que não teme ser preso e se defende das acusações

Por outro lado, Doria já publicou na edição desta quinta-feira um ato que anula as nomeações do deputado estadual Fernando Capez (PSDB) para o Procon e do ex-secretário municipal de Esportes Jorge Damião para o Memorial da América Latina.

Na tarde de quarta-feira, o governo tucano reconheceu que as nomeações foram irregulares porque não seguiram o trâmite legal. Os estatutos dos dois órgãos definem que os cargos só podem ser definidos pelo governador a partir de uma lista tríplice apresentada pelos respectivos conselhos, o que ainda não ocorreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.