Liberdade de imprensa não é um valor absoluto, diz Gushiken

O ministro da Secretaria de Comunicação de Governo e de Gestão Estratégica, Luiz Gushiken, disse que a liberdade de imprensa é um valor definitivo à democracia, mas não é algo absoluto. Ele fez tal comentário ao defender a criação do Conselho Federal de Jornalismo, órgão que, conforme a proposta do governo, irá fiscalizar e orientar a atuação dos jornalistas. Segundo Gushiken, este é um assunto pertinente aos jornalistas e que, portanto, a maneira como se deve conduzir o debate deve ser definida pela categoria. Já o presidente do Superior Tribunal de Justiça, Edson Vidigal, disse que qualquer tentativa de cercear a informação é incontitucional. Ele ressaltou, no entanto, que desconhecia o teor do projeto e que estava falando em tese sobre o assunto. Gushiken e Vidigal falaram à imprensa depois da cerimônia de lançamento do programa Soldado Cidadão, no QG do Exército. Prioridade O líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT-SP), afirmou que o projeto que cria o Conselho Federal de Jornalismo é uma prioridade do governo no Congresso. "Se o governo mandou o projeto significa prioridade mas não significa que ele será votado em regime de urgência. É um projeto importante e necessário. Se há problemas vamos discutir e debater", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.