Liberação de verba por Padilha será investigada

A Secretaria de Relações Institucionais constituiu comissão de sindicância investigativa para apurar a origem da assinatura digital do ministro Alexandre Padilha na autorização para permitir a liberação de R$ 3,1 milhões do Ministério do Turismo a favor do Instituto Brasil de Arte, Esporte, Cultura e Lazer (Inbrasil), entidade fantasma do Distrito Federal. A portaria para a constituição da comissão foi publicada hoje, no Diário Oficial da União.

ROSANA DE CASSIA, Agência Estado

14 Dezembro 2010 | 09h39

A denúncia partiu do jornal O Estado de S.Paulo, citado na portaria. A comissão terá 30 dias para concluir os trabalhos e é composta pelos servidores Jean Keiji Uema, Marcos Toscano Siebra Brito e Maurílio Ferreira Pedrosa.

A decisão de recorrer à Polícia Federal e abrir sindicância interna foi acertada numa audiência que Padilha teve com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na noite de quinta-feira, logo após o Estado procurá-lo para pedir esclarecimentos sobre o caso. O ministro afirmou em nota que não assinou o documento e que pediu ao Ministério da Justiça para que a Polícia Federal investigue o que, segundo ele, é uma "fraude". Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
esquema institutos fraude Padilha assinatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.