Lewandowski segue relator e condena Marcos Valério

Para revisor, réu cometeu o crime ao determinar o pagamento de R$ 326 mil a Pizzolato

Agência Estado

22 de agosto de 2012 | 18h50

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão, seguiu novamente o voto do relator, Joaquim Barbosa, e defendeu a condenação do empresário Marcos Valério por corrupção ativa. Para Lewandowski, o réu cometeu o crime ao determinar o pagamento de R$ 326 mil a Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, para obter vantagens para suas agências em contratos com a instituição financeira.

"Conforme demonstrei ao analisar a conduta de Pizzolato, ficou comprovado o recebimento de R$ 326 mil em espécie por orientação de Marcos Valério e seus sócios, por meio de um terceiro", disse Lewandowski. "Entendo que Marcos Valério cometeu corrupção ativa", concluiu.

O revisor destacou que a vantagem foi paga e, em troca, a agência DNA Propaganda conseguiu antecipações de R$ 73 milhões do fundo Visanet, por ordem de Pizzolatto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.