Lewandowski nega liberdade a empreiteiro preso na Lava Jato

Lewandowski nega liberdade a empreiteiro preso na Lava Jato

Presidente do STF recusou pedido feito pelo presidente da UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa, preso desde 14 de novembro

Fábio Brandt, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2014 | 19h42

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, negou nesta terça-feira, 23, um pedido de liberdade feito pelo presidente da UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa. Ele está preso desde 14 de novembro, quando foi deflagrada a sétima fase da Operação Lava Jato, que revelou um esquema de corrupção integrado por algumas das maiores empreiteiras do País e por Diretorias da Petrobrás.



Antes de Lewandowski, o Tribunal Regional Federal da 4º Região e o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, já haviam negado o pedido da defesa de Pessoa. Segundo o presidente do STF, é preciso esperar que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) tome uma decisão definitiva antes de levar o assunto ao STF. Por isso, ele rejeitou o habeas corpus. A defesa alega que Pessoa pode ser solto porque não atrapalharia as investigações se estivesse em liberdade.


Lewandowski é o responsável pelo plantão do STF durante o recesso do Judiciário, por isso coube a ele apreciar o novo pedido do presidente da UTC. 


Um dos executivos que fizeram acordo de cooperação com as autoridades, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da Toyo, apontou Pessoa como coordenador do "clube" formado por empreiteiras para obter contratos com a estatal mediante pagamento de propinas. Ele deu a declaração em depoimento prestado aos investigadores da Lava Jato.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoSTFprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.