Lewandowski: Ficha Limpa pode intensificar cassações

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, disse nesta quarta-feira que a Lei da Ficha Limpa pode "intensificar" os casos de políticos que têm o mandato cassado após as eleições. "Muitas vezes, existem candidaturas que estão sub judice e, mesmo depois das eleições, o mandato é cassado. Isso é absolutamente normal, e esse fenômeno pode ser, de certa maneira, intensificado pela Lei da Ficha Limpa", comentou Lewandowski, após cerimônia da 4ª Cúpula Brasil - União Europeia, no Palácio do Itamaraty.

RAFAEL MORAES MOURA, VANNILDO MENDES E MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

14 Julho 2010 | 21h14

Ao falar das impugnações de candidaturas, o presidente do TSE disse: "Estou fazendo um cálculo de que essas impugnações devem corresponder a cerca de 10% a 15% dos registros de candidatura. Isso é algo esperado, dentro do normal, tenho a convicção de que a Justiça Eleitoral dará uma resposta rápida a essas impugnações".

Comitês financeiros

O Tribunal Superior Eleitoral começou a analisar os comitês financeiros das campanhas. Já foi concedido o registro ao comitê do PT, que é formado por José Eduardo Dutra (presidente), José de Filippi Junior (tesoureiro) e José Eduardo Cardozo (secretário). O comitê do PSDB é integrado por José Gregori (presidente) e por Luís Celso Vieira Sobral (tesoureiro).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.