Lewandowski condena ex-presidente do PP e mais dois por formação de quadrilha

Revisor considera que o trio montou um esquema criminoso para receber recursos repassados por Valério

Ricardo Brito - Agência Estado,

24 de setembro de 2012 | 16h37

O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão, votou há pouco pela condenação do ex-presidente do PP Pedro Corrêa, o ex-assessor do partido João Cláudio Genu e o sócio da corretora Bônus Banval Enivaldo Quadrado por formação de quadrilha. Lewandowski considerou que o trio, mais o ex-líder do PP na Câmara José Janene, já morto, montaram um esquema criminoso e estável para receber recursos repassados pelo publicitário Marcos Valério, a pedido de Delúbio Soares.

O revisor disse que foi comprovado durante a instrução do processo que a cúpula do PP recebeu R$ 2,9 milhões para custear gastos de campanha e despesas do partido. Com esse entendimento, Lewandowski divergiu da fundamentação do voto do ministro Joaquim Barbosa, relator da ação, segundo o qual os repasses serviram para garantir o apoio do partido na votação de projeto de interesse do governo Lula.

Para Lewnadowski, contudo, não ficou comprovado o envolvimento do ex-líder do PP Pedro Henry e o outro sócio da corretora Bônus Banval Breno Fischberg na quadrilha. O julgamento foi interrompido para o intervalo.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaomensalãojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.