Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Lewandowski condena ex-assessor do PP por corrupção passiva e absolve por lavagem de dinheiro

Revisor afirma que Cláudio Genu não era um 'mero intermediário' no repasse de recursos ilícitos

Ricardo Brito - Agência Estado,

24 de setembro de 2012 | 15h26

O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão, votou há pouco pela condenação do ex-assessor do PP João Cláudio Genu pelo crime de corrupção passiva. Para Lewandowski, Genu não era um "mero intermediário" no repasse de recursos ilícitos de integrantes do partido no esquema montado pelo publicitário Marcos Valério, a pedido de Delúbio Soares. O ministro, entretanto, votou pela absolvição dele pelo crime de lavagem de dinheiro.

Lewandowski disse que Genu foi a pessoa encarregada pelo ex-líder do PP José Janene e ex-presidente do partido Pedro Corrêa para fazer os repasses à legenda. Ao todo, R$ 4,1 milhão foram pagos ao partido, usando, além de saques em espécie, uma corretora, a Bônus Banval, para o envio de recursos. O ministro do Supremo Tribunal Federal mencionou o fato de Genu ter participado das reuniões com Marcos Valério para acertar os detalhes para o uso da corretora no esquema.

O revisor, entretanto, livrou o ex-assessor do PP do crime de lavagem de dinheiro, por entender que, no caso, não ficou comprovado que Genu sabia da origem ilícita dos recursos. Essa é uma das condições, ressaltou ele, para caracterizar o crime. Ao final do voto sobre o réu, o ministro disse que deixará para depois para analisar se o ex-funcionário do PP cometeu também o crime de formação de quadrilha.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaomensalãojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.