Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Levy pediu prazo mais elástico para regulamentação de dívida dos Estados, diz senador

Presidente Dilma Rousseff tem 30 dias para regulamentar projeto que muda o indexador da dívida de Estados e municípios

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2015 | 11h12

BRASÍLIA - O líder do governo no Congresso Nacional, senador José Pimentel (PT-CE), disse nesta quarta-feira, 25, que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pediu a senadores nesta manhã um prazo mais elástico para a regulamentação do projeto que muda o indexador da dívida de Estados e municípios. No entanto, Levy não estipulou em que prazo isso deveria ser feito.

Nessa terça, a Câmara dos Deputados aprovou projeto estipulando que a regulamentação seja feita pela presidente Dilma Rousseff em 30 dias. "Levy disse que há um pequeno impacto que é absorvível. O problema é o momento político", afirmou Pimentel.


Pimentel fez as declarações após deixar café da manhã com Levy, que ainda acontece com outros senadores. Participam Delcídio Amaral (PT-MS), Raimundo Lira (PMDB-PB), Ciro Nogueira (PP-PI), Wilder Moraes (DEM-TO), Fernando Bezerra (PSB-PE), Vanessa Gaziotin (PCdoB-AM), Douglas Cintra (PTB-PE), Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Wellington Fagundes (PR-MT).

Depois do café da manhã, Levy concedeu uma rápida entrevista e afirmou que a conversa com os parlamentares foi "extremamente positiva". Segundo o ministro, os senadores mostraram que estão abertos ao diálogo. 

Levy acrescentou ainda que o presidente da Comissão de Assunto Econômicos (CAE) do Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), sinalizou a possibilidade de discutir uma agenda de crescimento com o governo, como a proposta de reforma do ICMS. 

Na reunião, o principal assunto negociado com o governo foi o projeto de lei que dá um prazo para o Ministério da Fazenda regulamentar a lei aprovada no ano passado que altera o indexador da dívida de Estados e municípios.

Tudo o que sabemos sobre:
Joaquim LevyDilma Rousseffdívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.