''Levantaram ofensas e acusações sem prova''

Tucana alega que se tornou alvo de denúncias ?requentadas? e acusa oposição de alimentar ?propósitos golpistas?

Entrevista com

Elder Ogliari, O Estadao de S.Paulo

21 de fevereiro de 2009 | 00h00

Bem no início daquele que se anunciava como o melhor ano de sua gestão, a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), está no centro de uma onda de denúncias de corrupção, feitas pelo PSOL com base em supostas provas no processo sobre o desvio de R$ 40 milhões do Detran entre 2003 e 2007.   Leia a íntegra da entrevista de Yeda CrusiusMesmo sem apresentar as provas que diz existirem, o PSOL afirmou que Yeda e diversos de seus ex-colaboradores sabiam do uso de caixa dois na campanha de 2006 e de pagamentos "por fora" na negociação da casa da tucana. A seguir, trechos de entrevista concedida ontem pela governadora:As acusações são muito fortes e colocam em risco a carreira política dos integrantes do PSOL se as provas não aparecerem. Como afirmar que nada é verdadeiro?Eles não têm credibilidade para dizer nada. Não podiam convocar a imprensa para fazer dela massa de manobra para os propósitos golpistas que sabidamente têm.A senhora considerou a crise do Detran um tsunami. Como qualifica esse momento?Trata-se de uma técnica usada para tentar desviar o foco do bom momento do governo. Colocamos as contas em dia e, quando isso é feito, parece que eles, por não terem o que dizer, usam armas que não são próprias da política gaúcha. Não é nenhum terremoto, é tentativa de confundir a opinião pública em relação a um momento muito bom que o Estado inteiro vive. Em cima da divulgação de uma coisa boa, eles se organizam para promover uma falsa denúncia.A senhora vai reagir de alguma maneira, com processos, pedidos públicos de explicações?O governo e o Ministério Público tem aparato jurídico para estudar essa questão e vão ver os instrumentos disponíveis para responsabilizar a todos os que estiverem cometendo qualquer tipo de delito. Para mim é delituosa essa exposição que o PSOL fez.É tudo mentira?Sofri acusações infundadas. No final do ano passado (quando o Ministério Público Estadual considerou como legal a compra do imóvel questionada pela oposição) ficou provado que nunca aconteceram.A oposição considerou tímida a reação do Piratini diante das acusações. Entende que alguém injustiçado exigiria as provas.Exigir provas? Eles devem exigir de si próprios. Minha mãe me ensinou a não responder a provocações de bêbados de porta de bar. O nível do fazer política no Rio Grande do Sul é altíssimo. Não merece esse tipo de provocação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.