Lessa destaca que Brasil pode ser 3º produtor mundial de urânio

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Lessa, afirmou hoje que o Brasil tem condições de se tornar o terceiro produtor mundial de urânio. "Eu não sei nada sobre negociações entre o Brasil e a China na área nuclear, mas o que eu posso dizer é que o Brasil tem todas as chances de sair da sexta posição de produtor mundial de urânio para a terceira posição", avaliou, quando questionado sobre as conversas entre os dois países para uma possível cooperação na área nuclear.O ministro de Ciência, Minas e Tecnologia, Eduardo Campos, esteve reunido esta semana com autoridades chinesas em Pequim. Para chegar ao terceiro lugar, o País precisaria colocar em produção duas minas que são conhecidas, já foram mapeadas e têm tecnologia dominada, explicou Lessa. "E nós do BNDES vamos abrir caminho para essas duas explorações", afirmou.Ele disse que o investimento necessário para essa produção é "perfeitamente exeqüível". Lessa lembrou também que o País tem domínio das técnicas de enriquecimento de urânio. Por essas razões, "o Brasil é naturalmente um exportador potencial de urânio", estimou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.