Lerner critica "burocratas" paulistas

O governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), afirmou hoje que São Paulo sempre coloca em pauta o tema dos incentivos fiscais "quando falta assunto". Segundo Lerner, São Paulo foi o primeiro Estado a praticar guerra fiscal, quando reduziu, em 1995, o ICMS de automóveis. Lerner criticou a recente ofensiva paulista contra os incentivos dizendo que "alguns burocratas querem que São Paulo se comporte como o Canadá", numa referência ao embargo do país à carne brasileira. Antes de fazer a observação, contudo, ressaltou que não se referia nem ao governador nem ao povo de São Paulo em sua crítica. De acordo com Lerner, "todos os Estados utilizam incentivos semelhantes", mas "cada um trabalha e faz valer suas diferenças". O governador participou hoje do seminário "Políticas urbanas e rurais para os municípios", na Assembléia Legislativa gaúcha. Para Lerner, o Paraná foi bem-sucedido na atração de empreendimentos por reunir três características: qualidade de vida, qualificação profissional e logística. A política de incentivos, disse o governador, permitiu ao Estado gerar 700 mil empregos, sendo 150 mil diretos, e obter R$ 25 bilhões em investimentos nos últimos seis anos. A assessoria de Lerner informou que o Estado atraiu 600 indústrias neste período e 210 delas receberam incentivos. No último dia 15, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu uma liminar a São Paulo suspendendo incentivos fiscais concedidos pelo Paraná por meio de decreto. O Paraná já havia anunciado, na sexta-feira, que iria recorrer contra a decisão, pedindo a reconsideração da liminar. O governo paulista promete mover ações também contra Goiás, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul questionando benefícios fiscais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.