Lembo se reúne com Lula e ignora possível crítica do PFL

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo (PFL), se reúne nesta quarta-feira, às 15 horas, com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília. De acordo com o governador, o encontro foi pedido pelo presidente e a pauta será definida por Lula. "Ele deve ter uma pauta e eu vou apenas ouvir e dialogar com o presidente, como sempre fiz", afirmou Lembo.O governador paulista disse não estar preocupado com possíveis críticas do presidente do PFL, Jorge Bornhausen, em relação ao encontro com o presidente da República. Na terça-feira da última semana, Bornhausen declarou que não atravessaria a rua para conversar com o presidente, e Lembo, no dia seguinte, pregou o diálogo e ironizou as declarações do senador."Eu estou atravessando os céus para dialogar com o presidente e isso (possível crítica) é um problema do presidente do partido. Eu sou governador de São Paulo e tenho responsabilidades com o povo paulista", afirmou o governador. Lembo participa, em Ribeirão Preto, da abertura do seminário que comemora os dez anos do curso de pós-graduação de Gerente de Cidade da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). O governador elogiou o presidente dizendo que o Brasil nunca foi tão bem equacionado como no momento atual. Ele elogiou a capacidade de diálogo de Lula, o qual classificou como um sobrevivente por ter vindo de pau-de-arara do Nordeste até São Paulo e conseguido chegar ao principal cargo do País. "Imagine se o Brasil, na democracia, não tivesse, neste momento, um líder com a capacidade de diálogo que ele (Lula) tem", indagou.Ao comentar a importância do curso, Lembo elogiou a iniciativa da Faap, pediu a ampliação do curso para Gerente de Estados e sugeriu, irônico, ao presidente Lula que o fizesse. Lembo disse ainda que o processo de transição de governo com a equipe do governador eleito José Serra (PSDB) é "plenamente satisfatória, muito dinâmica e sem ruído que possa criar situação adversa".

Agencia Estado,

08 de novembro de 2006 | 11h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.