Lembo diz que plano do PT é ´ingênuo´

O presidente do PFL de São Paulo, Cláudio Lembo, considerou, nesta quarta-feira, "ingênua" a intenção do PT de entrar na Justiça contra a publicidade partidária gratuita pefelista, exibida na última segunda-feira (03). "A reação deles (PT) foi ingênua, coisa que não se faz em política", avaliou.Segundo Lembo, o PFL recorrerá de ações judiciais nos Tribunais de Justiça (TJ) e Superior Eleitoral (TSE).Ele não acredita que a polarização com o PT, mostrada na publicidade partidária gratuita, abale a imagem de "candidatura ponderada e suprapartidária" da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL)."Existe o PFL da governabilidade e o PFL de combate; é o mesmo PFL num só. Se os ataques ao PT irão nos prejudicar, isso vamos ver nas próximas pesquisas", disse Lembo."O trem da alegria, que pode ser legal, mas não é moral, e o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) progressivo, que desagrada a boa parcela da população, entre outras coisas, fazem parte da realidade. O PFL colocou essas questões no ar de forma jocosa", justificou.A "linha de análise crítica" firmada pela direção nacional do partido deve ser mantida. "Já estávamos cansados de apanhar, porque eles (PT) agem da mesma forma. Alguém precisava enfrentá-los."O presidente do PFL do Estado afirmou que o PT e as legendas de esquerda, com as quais, tradicionalmente, forma aliança, fazem o mesmo. "O Fernando Henrique Cardoso e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) têm sofrido horrores com propagandas de mau gosto, mas nenhum deles reagiu dessa forma", disse.Segundo Lembo, existe jurisprudência nacional e internacional que respalda as críticas feitas pelo PFL contra o PT, na publicidade partidária. Apesar de defender o presidente Fernando Henrique Cardoso e Alckmin, o presidente do PFL estadual afirmou que a sigla não tem parcerias definidas."Basta ver que o Inocêncio bateu no Serra", argumentou, destacando a independência da agremiação, por causa dos bons índices obtidos por Roseana, em relação ao governo federal.Na segunda-feira, o líder do PFL na Câmara dos Deputados, Inocêncio Oliveira (PE), disse que o ministro da Saúde, José Serra, não servia para ser candidato a vice-presidente na chapa de Roseana. "Nesse momento, estamos em vôo solo", disse Lembo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.