Lembo diz acreditar que Lula fará bom 2º mandato

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo (PFL-SP), disse na manhã desta quinta-feira, durante entrevista à Rádio Jovem Pan de São Paulo, acreditar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará um bom segundo mandato porque, no seu entender, "este não poderá ser pior que o primeiro". Lembo elogiou o presidente ao dizer que "Lula possui uma intuição diabólica e aprende muito fácil com os erros". O governador garantiu também que não vai para o PT, pois, para ele, a agremiação petista não é nenhuma solução para o País.Ao mesmo tempo, ele criticou a oposição, encabeça da pelo seu partido e pelo PSDB, por fazer frente ao Congresso Nacional na aprovação ou derrubada de medidas. Lembo acredita que o bom senso está bem distribuído, principalmente no PFL, e, por isso, os partidos não devem atrapalhar o governo Lula. O governador entende que "há diferença entre fiscalizar e fazer oposição por mera oposição".Ele alfinetou seu partido por conta do projeto que cria o 13º salário para o Bolsa Família, aprovado pelo Senado. ColigaçãoCláudio Lembo declarou também que não é possível ainda definir qual será o futuro da coligação PSDB-PFL, dizendo que a parceria de longa data entre as duas legendas esbarra em questões regionais. Por isso, afirmou que as coligações federais, exigidas pela chamada ´verticalização´, são uma "tolice". O presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), disse, esse ano, que há possibilidade de a legenda abandonar a aliança com os tucanos, mas ainda continuar na oposição. Lembo defendeu as alianças regionais que, no seu entender, seriam mais adequadas à realidade brasileira. O governador paulista disse o PFL precisa perder o constrangimento dos "pequenos burgueses" e lançar um candidato próprio à Presidência da República nas próximas eleições, que ocorrerão em 2010.Já em relação a São Paulo, o governador Cláudio Lembo afirmou que não será fácil para a coligação PSDB-PFL definir quem vai ser o candidato à prefeitura em 2008, ressaltando que os tucanos possuem nomes mais competitivos. Contudo considera que o atual prefeito, Gilberto Kassab, é forte candidato à reeleição. Fundação ZerbiniEm relação à crise financeira que atinge a Fundação Zerbini, liga ao Instituto do Coração (Incor), Lembo foi enfático ao assegurar que o falecido governador Mário Covas (PSDB-SP) jamais fez promessas à entidade. Assim que a crise financeira na Fundação Zerbini tornou-se pública, ganharam força os rumores de que as dívidas na entidade teriam se iniciado na construção do novo prédio do Incor, realizado com verbas da Zerbini que posteriormente seriam quitadas pelo governo estadual, o que é negado pela atual administração.O governador ressaltou ainda que não pode transferir dinheiro do Estado para a fundação, que é considerada uma entidade particular, assim como outras que existem em São Paulo. Ele frisou que o convênio entre o Estado e a fundação tem apenas fins científicos.Finalizando, Cláudio Lembo falou que deverá abandonar a vida política depois que entregar o cargo ao governador eleito, José Serra. Ele lembrou que já tem 72 anos e que pensa apenas em voltar a dar aulas no Instituto Presbiteriano Mackenzie e descansar.

Agencia Estado,

23 de novembro de 2006 | 17h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.