Lembo critica antecessor durante transmissão de cargo

O ex-governador de São Paulo Cláudio Lembo (PFL) voltou a fazer duras críticas ao seu antecessor durante a rápida entrevista coletiva que concedeu após transferir o cargo ao governador eleito José Serra (PSDB). "Me oferecem uma Maserati e eu levei um fusca 66", destacou, citando como exemplo dos grandes problemas que enfrentou na área financeira.Lembo afirmou ainda que deixa o cargo de governador do maior Estado da Federação "muito aliviado". Mas que, apesar dos desafios que enfrentou, não está magoado com seus antecessores, em especial o ex-governador Geraldo Alckmin. "Saio com gosto do dever cumprido, algo que é difícil no Brasil".Ele voltou a citar os problemas que enfrentou com uma facção criminosa do Estado em maio de 2006 - Primeiro Comando da Capital (PCC). "Conheci o mais duro episódio de violência contra o Estado de direito jamais ocorrido no interior do regime democrático em nosso País", disse. Apesar do episódio, o pefelista elogiou o trabalho da polícia do Estado e garantiu: "Mantive serenidade, equilíbrio e bom humor, apesar de todos os desafios impostos. Jamais admiti o rompimento das relações que devem existir entre os entes federados".No breve pronunciamento, destacou também que Serra é um grande combatente. "Este combatente de muitos combates é diferenciado pela coragem e pelo conhecimento que possui dos negócios de Estado. Desde sua juventude, mostrou-se destemido e convicto de suas idéias e posicionamento". E continuou com os elogios: "A política brasileira necessita de figuras altaneiras e qualificadas. Felizmente, os brasileiros de São Paulo souberam, nas urnas de outubro, optar pelo melhor e o mais qualificado (Serra)".Lembo não quis entrar em detalhes sobre seu futuro político. Disse apenas que voltará a dar aulas (como professor convidado da USP e Mackenzie). E destacou: "O futuro a Deus pertence".A cerimônia de transmissão de cargo aconteceu no auditório do Palácio dos Bandeirantes. Dentre as autoridades presentes, destacam-se as presenças do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Os dois foram muito aplaudidos ao chegaram para a cerimônia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.