Leitores preferem que Polícia Federal apure caso Banestado

Contrariando a decisão do Congresso, os internautas do portal estadao.com.br acham que o desvio de cerca de US$ 30 bilhões para o exterior, conhecido como caso Banestado, deveria ser apurado apenas pela Polícia Federal. É a opinião de 38,72% das pessoas que participaram da enquete realizada nesta terça-feira. Mas outros 37,05% aprovam a decisão tomada hoje pelos líderes dos partidos, a de criar uma Comissão Especial de Inquérito mista, que prevê a participação de deputados federais e senadores.ENQUETE Você acha que o escândalo das remessas ilegais de US$ 30 bilhões para o Exterior através do Banestado... A - deveria ser apurado por duas CPIs diferentes, uma no Senado e outra na Câmara, como está sendo encaminhado22.09%B - deveria ser apurado pelo Senado e Câmara em conjunto, através de uma única CPI37.05%C - deveria ser apurado só pela Polícia Federal38.72%D - não deveria ser apurado2.14%Entre os participantes da enquete, 22,09% gostariam que o caso Banestado fosse apurado por uma CPI na Câmara e outra no Senado. Apenas 2,14% afirmaram que a evasão de divisas não deveria ser investigada. Nos últimos dias, integrantes do governo Lula têm manifestado publicamente serem favoráveis à apuração do caso, como ocorreu com o ministro da Casa Civil, José Dirceu. Ele afirmou ontem que o governo não tem apenas disposição, mas uma firme determinação de investigar o caso.Apesar das afirmações do ministro, o governo já conseguiu arquivar a abertura de uma CPI no Senado sobre o assunto e, atuando nos bastidores, tentava atingir o mesmo objetivo na Câmara. Na semana passada, o presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP) articulava uma forma de inviabilizar a CPI do Banestado. Para o governo Lula, a instalação da comissão atrapalharia a tramitação das reformas da Previdência e tributária. A Polícia Federal já apurou o envolvimento de políticos e empresários no caso. Os nomes já foram revelados à Comissão de Segurança Pública da Câmara, mas não foram divulgados para a imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.