Leitores elegem ´Até Quando´ como trilha da ´Dança do Mensalão´

Os leitores do Portal do Estadão elegeram a música Até Quando, de Gabriel O Pensador, como trilha sonora da "Dança do Mensalão", coreografada pela deputada Angela Moraes Guadagnin (PT-SP), após a absolvição do mensaleiro e colega de partido João Magno.A música vencedora recebeu 1431 votos - 28,23% dos 5055 votos computados pela enquete realizada entre os dias 24 e 25 de março. Em segundo lugar, com 25.99%, ficou Malandro é Malandro e Mané é Mané, de Bezerra da Silva.O comportamento da deputada na madrugada do dia 23 de março recebeu duras críticas da esmagadora maioria dos leitores. Boa parte espera que os eleitores não votem nela nas eleições gerais dia 1º de outubro. Outros sugerem que Angela Guadagnin seja processada por falta de decoro parlamentar. "Só poderemos cassá-los na eleição, pois hoje não temos ninguém para nos representar", escreveu Junior Cesar, da cidade de Miranda, no Mato Grosso do Sul. Para Rodrigo Paranaiba Silva, de Rio Verde, Goiás, o "o povo brasileiro precisa se conscientizar e exigir mais, conferir contas públicas e não ter medo de político". Morador de Santos, Gilberto Cortelazzo, disse ser "muito triste saber que um representante ´nosso´ no plenário federal, principalmente sendo uma ´mulher´ se dá ao desfrute de uma patifaria dessa"Salvador Ponce Junior, de São Paulo, cobrou um processo contra a deputada. "Quando debochadamente dançou no recinto da Câmara dos Deputados comemorando mais uma vitória do corporativismo e da falta de vergonha, deveria ela própria ser denunciada por falta de decoro parlamentar", escreveu.Na opinião de Helio Cudek, também de São Paulo, os eleitores da deputada "não devem esquecer o deboche, o desrespeito e o escárnio" na hora de votar. "Nós brasileiros devemos parar de rir. Temos obrigação de cobrar seriedade e serenidade dos nossos representantes. Vamos ter uma atitude madura e responsável nas próximas eleições".A dança da deputada certamente ficará marcada como uma das cenas mais deprimentes da história política nacional. Captada pela TV Câmara, a imagem da deputada dançarina ganhou as páginas dos jornais, as telas dos telejornais e a Internet.Diante da repercussão negativa, Angela se mostrou arrependida e, no dia seguinte, pediu perdão. "Que me perdoe quem encarou como deboche. Eu sou humana, agi espontaneamente, com o coração", disse. Ao tentar explicar o que fez, ela não admitiu que dançou, apesar da evidência das imagens. "Na verdade, eu não saí dançando. O que houve foi uma manifestação de alegria porque meu amigo não tinha sido cassado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.