Leite e Pazzianoto podem ser candidatos a cargos políticos

Em 2002, os presidentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Paulo Costa Leite, e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Almir Pazzianoto, podem ser candidatos a cargos políticos. Leite admite a hipótese de candidatar-se a deputado em 2002 por um partido de centro-esquerda, quando deixará a presidente da Corte e, possivelmente o próprio tribunal.O presidente do STJ afirma, no entanto, que, "enquanto tiver toga", não conversa sobre política. Mas o mandato dele como presidente do STJ termina em 3 de abril, três dias antes do fim do prazo fixado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a filiação de magistrados a partidos.Fontes ligadas ao presidente do STJ opinam que, dificilmente, ele continuará no órgão após abril. Os caminhos possíveis para Leite seriam arriscar uma carreira como advogado ou tentar uma cadeira na Câmara. Educação - Nos quase dois anos de presidência do STJ, o ministro notabilizou-se por defender direitos de funcionários públicos, como os professores universitários que ficaram em greve por quase todo o segundo semestre deste ano.Recentemente, por exemplo, Leite criticou o Executivo por descumprir uma decisão do STJ que obrigava o governo a repassar recursos para as universidades com o objetivo de pagar os salários dos professores grevistas.O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Almir Pazzianotto, também é sondado por partidos para concorrer nas próximas eleições. Ele declarou que não pretende continuar na instituição depois de deixar a presidência, o que deverá ocorrer em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.