Leilão de mercadorias apreendidas deve render R$ 17 mi

A Inspetoria da Receita Federal em São Paulo realiza no próximo dia 12 o maior leilão de mercadorias apreendidas no País. O presidente da comissão de licitação de mercadorias apreendidas da unidade, Carlos Alberto de Moraes, prevê uma arrecadação de R$ 17,3 milhões com os 354 lotes que estarão disponíveis exclusivamente para pessoas jurídicas. A maior atração do evento é a pick up americana Big Foot, utilizada em exibições e espetáculos de esmagamento de veículos e transposição de obstáculos, que terá lance mínimo de R$ 200 mil. A mercadoria mais cara será uma onduladora alemã de papel, com preço fixado em R$ 10,9 milhões.Apesar destes chamarizes, Moraes diz que as grandes vedetes são os materiais de confecção e os equipamentos de informática, que, apesar de terem valores menores, têm giro muito grande.Também serão leiloadas jóias, relógios, brinquedos, materiais para pesca, toca-fitas e aparelhos televisores, todos apreendidos dentro da Grande São Paulo. As mercadorias estarão expostas à visitação pública nos dias úteis até 11 de setembro, das 10h às 12h e das 13h às 17h, nos depósitos da Receita Federal indicados no edital.O valor do lance poderá ser pago integralmente à vista ou com sinal de 20% e o restante no prazo de oito dias da data da arrematação. A previsão é de que mais de 250 empresas participem. O leilão está marcado para a partir das 10h30, no dia 12, no Clube de Regatas Tietê. O edital completo com os valores e as respectivas descrições das mercadorias de cada lote estão disponível na Internet, no site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br/novidades), e também no edifício-sede da Inspetoria da Receita Federal em São Paulo.Segundo Moraes, este é o segundo leilão do tipo realizado este ano pela Inspetoria da Receita Federal na cidade de São Paulo. O primeiro aconteceu em 25 de abril e arrecadou mais de R$ 5 milhões. Ainda em 2001, a Receita deve realizar um terceiro leilão, ainda sem data definida. O auditor fiscal lembra que, no ano passado, foram efetuados 5 leilões (4 para pessoas jurídicas e um para pessoa física) na região da Grande São Paulo e que o volume total arrecadado ficou em R$ 7,1 milhões. De acordo com Moraes, o progressivo crescimento da arrecadação com leilões de mercadorias irregulares apreendidas reflete o fortalecimento da fiscalização do Fisco. "Este mês estaremos realizando o maior leilão já feito pelo Receita e isso será possível graças à atuação mais seletiva e à maior fiscalização, gerando mais lotes de mercadorias", destaca.Contabilizando todos os leilões realizados pelas diversas inspetorias, delegacias e alfândegas da Receita espalhadas pelas dez regiões fiscais brasileiras, o Fisco arrecadou no ano passado R$ 81,9 milhões. Só na 8ª região fiscal (São Paulo), foram R$ 60, 8 milhões. Nos 61 leilões de mercadorias ocorridos até agosto deste ano, o lucro foi de R$ 37 milhões, sendo R$ 25,6 milhões só em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.