Leia o que foi dito sobre o problema de saúde de Lula

O mal-estar que levou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a ser hospitalizado na noite da última quarta-feira, 27, no Recife (PE), teve início ainda no fim da tarde, enquanto ele participava de uma cerimônia em homenagem às vítimas do Holocausto. Lula confidenciou a auxiliares que se sentia muito cansado durante seu discurso na solenidade e, dali em diante, passou a ter a pressão monitorada pelo médico Cléber Ferreira, que costuma acompanhá-lo nas viagens oficiais. O presidente teve de ser hospitalizado por causa de uma crise de hipertensão, atribuída ao estresse excessivo, combinado a uma gripe e ao cansaço da agenda carregada que cumpriu nos últimos dias.

28 de janeiro de 2010 | 16h56

 

Veja Também

link'Na segunda-feira ele estará pronto', diz Dilma

linkPadilha diz que Lula dormiu pouco, mas acordou bem

linkTemporão atribui internação a excesso de trabalho 

linkEle está bem, mas 'muito cansado', diz médico

 

Lula chegou à capital paulista por volta das 11 horas desta quinta-feira. De acordo com a assessoria do governo, Lula está com a pressão arterial regularizada e ficará em repouso no fim de semana, apenas por precaução. O presidente desceu do avião presidencial e caminhou até o carro que o levou para a cidade.

                                            

"Eu vou ser muito breve, porque eu estou com a garganta não muito boa e não quero ser o primeiro paciente desta UPA aqui. Ela está tão bem organizada, ela está tão bem-estruturada, que dá até vontade de a gente ficar doente para ser atendido aqui."  

Lula, em discurso durante evento na última quarta-feira, 27

 

 

"Fizeram uma avaliação clínica no Recife e acharam por bem dispensá-lo porque estava tudo bem", disse Kalil Filho. "O presidente está bem cansado, assim como eu, pois não dormimos a noite inteira. O presidente é uma pessoa saudável"

Roberto Kalil Filho, médico do presidente

 

 

"A população pode ficar tranquila, porque o presidente está bem, está descansando em casa com a dona Marisa. Na segunda-feira ele estará pronto"

 

Dilma Rousseff, ministra-chefe da Casa Civil

 

 

"Lula acordou bem, tirou todos nós da cama no Hospital, recebeu alta e já estamos indo para a base aérea de volta ao trabalho. Duro na queda!"

 

Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais

 

 

"Lula está bem, para alegria do povo brasileiro. O atendimento em Pernambuco só não foi mais rápido porque o pessoal do hospital exigiu uma foto com o Presidente"

 

Ricardo Berzoini, presidente do PT

 

 

"Trinta dias de férias seriam absolutamente necessários, muito importante para um presidente da República. Mas ele é um trabalhador compulsivo e tem muita dificuldade em parar"

José Temporão, ministro da Saúde

 

 

"Com certeza, a dona Marisa e o médico do presidente devem estar lhe dando um bronca."

 

 

 

Paulo Bernardo, ministro do Planejamento

 

"Lula tem feito um esforço muito grande nos últimos meses. Está animado com o trabalho, mas acaba exagerando"

 

 

Eduardo Suplicy, senador (PT-SP)

 

"É o resultado de uma estafa, de sete anos de governo e ainda de uma agenda muito forte que foi intensificada nos últimos dias."

 

 

Edinho Silva, presidente do PT-SP

 

"Ele tem uma vida estressante, um ritmo de atividade excessivo e isso favorece problemas cardíacos"

 

 

 

Adib Jatene, ex-ministro da Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.