Leia as principais frases de Lula no lançamento do PAC no NE

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva trocou o Sul pelo Nordeste - onde é bem avaliado - para cumprir cronograma de lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A tese, rebatida por Lula, é de que o presidente estaria com receio de manifestações negativas em razão do acidente com o avião da TAM e ainda não teria superado o 'aborrecimento' pelas vaias no Maracanã, durante a abertura dos Jogos Pan-Americanos.   Apesar da blindagem, Lula não conseguiu fugir de protestos. Em Natal (RN) e Aracaju (SE), o presidente foi recebido com vaias e faixas de protesto. Abaixo algumas frases de Lula durante sua visita:   Natal, Rio Grande do Norte   "Muito pelo contrário. Devo tudo o que sou ao Sul e Sudeste brasileiro.Foi lá que eu aprendi a ler, foi lá que eu tive uma profissão, foi lá que eu criei um sindicato, foi lá que eu fundei um partido, que eu fundei uma central e foi lá que eu me lancei candidato à presidência", disse sobre a tese de que teria adiado viagem que faria à região Sul para evitar manifestações negativas.   "D. Pedro tentou fazer a transposição das águas do Rio São Francisco em 1.847. Não deixaram ele fazer. Eu não sou imperador, não sou príncipe, sou apenas um retirante nordestino que virei presidente, e que conheço a realidade do Nordeste, vou fazer", afirmou ao prometer que vai tirar do papel o projeto para as obras que estão incluídas no PAC.   João Pessoa, Paraíba   "Enquanto a classe dirigente fica brigando pequeno, com mesquinharia, o povo fica sofrendo, o povo fica na expectativa que apareça um milagroso para salvá-lo e não tem", disse ao criticar seus opositores.   E continuou a reclamar da oposição: "Acabou uma eleição, ela continua, ela é eterna e você pode mandar qualquer projeto, pode ser para melhorar, mas se são contra o governo dizem eu voto contra, eu não voto favorável, não se preocupam sequer em analisar se aquilo vai beneficiar o povo do nosso País".   Aracaju, Sergipe   Lula voltou a lembrar de sua infância pobre e comentou que quando chegou a São Paulo tinha uma barriga enorme "que era puro verme", doença adquirida por falta de água tratada. Em seguida brincou afirmando que ficou bonito depois de velho.   "No Brasil, eu volto a repetir, pobre só é lembrado em época de eleição e, em época de eleição pobre é igualzinho a um banqueiro mas, depois das eleições, o pobre é esquecido", disse ao defender o PAC do saneamento.            

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.