Leia a íntegra da nota da base aliada contra CPIs

Esta é a íntegra da nota divulgada à imprensa pelos partidos da base aliada - PMDB, PFL, PSDB e PPB - do presidente Fernando Henrique Cardoso: "Os partidos que integram a base parlamentar do governo no Senado, através de seus líderes, tendo em vista o acirramento de ânimos em conseqüência de disputas políticas, exortam a que se dê um basta a este clima de instabilidade que prejudica o Brasil justamente no momento em que a economia apresenta sinais de crescimento e em que o País sente-se, pela primeira vez, em alicerces sólidos para acelerar investimentos sociais, sem riscos de comprometer a estabilidade econômica tão duramente conquistada. "Os partidos passam a oferecer prioridade à agenda estabelecida pelo governo para o biênio 2001-2002, tendo em vista o apoio integral já manifestado. Decidem reiterar a determinação em priorizar a construção do futuro e pensar no Brasil, acima de tudo. "Em face disso, os partidos não apoiarão nenhuma das CPIs propostas --- e são muitas e múltiplas --, por seu caráter inconsistente e notório propósito desestabilizador. Trabalharão, objetivamente, visando o bem-estar do povo e o cumprimento da agenda definida pelo governo. Que sejam, com urgência, restabelecidas as atividades legislativas normais, com vistas a dar continuidade às reformas e às mudanças necessárias para consolidar as conquistas do governo Fernando Henrique Cardoso em favor do povo. "O que se deve, no momento, evitar é que a Nação seja conduzida a um gargalo político criado artificialmente. A economia vai bem, as perspectivas são as melhores, a agenda proposta para este e o próximo ano levarão o Brasil a uma nova etapa de crescimento e à continuação do resgate da imensa dívida social acumulada durante vários governos, que levaram o País à hiperinflação, hoje imagem distante e de triste memória. "A decisão dos partidos da base do governo, portanto, é pôr fim imediatamente ao clima de intranqüilidade e às tentativas de desestabilização da fase positiva da economia, pelo atalho nefasto da intriga política. O que o povo brasileiro deseja é crescimento, emprego, investimentos na área social, e é a essa tarefa a que todos devem se dedicar agora, na forma da agenda proposta pelo governo. "Os partidos defendem a apuração de toda e qualquer irregularidade -- se houver. Mas, para investigar denúncias de qualquer tipo, devem ser usados os instrumentos do sistema democrático, como, aliás, já vem acontecendo. CPI não pode servir de instrumento de vingança nem de manipulação política, nas mãos de quem age e até mesmo confessa agir ao arrepio da lei e da ética, divulgando material cujo sigilo é transferido para o Congresso para atingir determinados fins."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.