Leia a íntegra da carta de demissão de diretor dos Correios

Coronel Artur pede afastamento após denúncias do 'Estado'

Agência Estado

20 de setembro de 2010 | 17h43

BRASÍLIA - O diretor de Operações dos Correios, Eduardo Artur Rodrigues Silva, mais conhecido como coronel Artur, formalizou sua demissão nesta segunda-feira. Após denúncia do Estado, que apontou coronel Artur como testa de ferro de empresa que beneficiava de lobby do filho da ex-ministra da Casa Civil, o diretor decidiu abandonar o cargo para o qual fora nomeado há menos de dois meses.

 

Leia abaixo a íntegra de sua carta de demissão:

 

"Brasília, 20 de setembro de 2010

 

Estimado Presidente David,

 

Vim para os Correios com a vibração e entusiasmo dos jovens recém-formados.

 

Aos 61 anos de idade esta seria a coroação e o encerramento da minha carreira profissional, honrado que fui pela indicação para a função por um Senador da República, sabedor da minha capacidade técnica para exercê-la.

 

Aviador, consultor aeronáutico, especialista em logística e operação nos aeroportos, além do conhecimento e das dificuldades da Rede Postal Noturna, logo na chegada designamos grupos de trabalho para estudarem aperfeiçoamentos e modernizações, as quais beneficiariam a ECT no futuro.

 

Desde o início fui alvo de ataque pela imprensa. Minha atuação, bem como de minha filha, no mercado de consultoria aeronáutica, sempre foram de domínio público e, insinuações de propriedade ou controle de empresas do setor aéreo, são facilmente desmentidas.

 

No entanto, o mal que essas notícias provocaram é incalculável. Minha família está emocionalmente destroçada, minha vida está sendo revirada e meu nome sendo alvo de suspeitas absurdas e infundadas.

 

Estou pedindo demissão do cargo de Diretor de Operações da ECT, por iniciativa própria. Não sinto mais o prazer do trabalho e do desafio que a função exige, e não vou contaminar os excelentes profissionais com que convivi nestes 48 dias com o meu desencanto.

 

Tive muito prazer em conhecê-lo. Você tem a maturidade, sabedoria e competência necessárias para levar a empresa adiante. Por essa razão, só me resta desejar-lhe e a todos os 110.000 empregados, muita sorte e sucesso.

 

Um grande abraço,

 

Eduardo Artur Rodrigues Silva"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.