Lei do Abate vai provocar retaliação dos EUA, diz ministro

O ministro da Defesa, José Viegas, afirmou nesta quarta-feira que, se a regulamentação da lei do abate entrar em vigor, o Brasil sofrerá ?retaliação automática? por parte do governo dos Estados Unidos e o País ?se veria impossibilitado de importar peças e equipamentos para o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam)?.A afirmação do ministro foi feita durante audiência na Comissão da Amazônia, na Câmara dos Deputados. Em entrevista, o ministro disse que existe um dispositivo na legislação norte-americana que impede a exportação de equipamentos de controle de espaço aéreo para países que têm essa lei. ?A menos que o governo norte-americano aprove uma exceção?, disse o ministro, ao informar que o governo brasileiro vai iniciar negociações nesse sentido, em data a ser definida. FarcJosé Viegas afirmou ainda que ?o Brasil não estáse sentindo ameaçado pela presença das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) nafronteira? e que as Forças Armadas brasileiras ?estão atentas? a todas as movimentações do grupo, ressalvando, no entanto, que ?dentro das limitaçõesorçamentárias?. O ministro considera ?de razoável controle? a situação da fronteira.Para ele ?o problema não são as Farc?. E acentuou: ?O maior problema é o tráfico de drogas, o banditismo, a invasão do espaço aéreo pelo crime organizado?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.