Legistas buscam corpos em local de desastre na Amazônia

Uma equipe de dez médicos legistas do Instituto Médico Legal de Manaus seguiu nesta manhã para o local do acidente com o avião Brasília prefixo PT-WRO da empresa Rico Linhas Aéreas, que caiu na noite de sexta-feira da na selva, matando os 30 passageiros e três tripulantes, informa a Agência Brasil.A ida da equipe de médicos legistas vai facilitar a busca e remoção dos corpos, uma vez que a equipe do Corpo de Bombeiros não tem experiência com corpos mutilados. O estado de destruição é tal que nem mesmo os médicos legistas puderam informar quantos corpos foram resgatados dentre os restos que chegaram ontem a Manaus. O processo de identificação, que será muito lento, será baseado em informações que serão tomadas dos parentes das vítimas, que responderão, a partir de hoje, a um formulário para detalhar características físicas, como cicatrizes, cor da pele e uso de próteses para, depois, serem feitos exames de DNA que possam determinar a identidade de cada uma das 33 pessoas mortas no acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.