WENDERSONARAUJO/TRILUX
WENDERSONARAUJO/TRILUX

'Legislativo não é um apêndice do governo', afirma Temer

Mesmo com dificuldade em tramitar projetos do Executivo e de ter uma base consistente na Câmara, presidente da República diz que mandato foi feito em parceria com deputados e senadores

Gustavo Porto, enviado especial, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2018 | 14h04

UBERABA - No momento em que enfrenta maior dificuldade para tramitar projetos do governo e de ter uma base consistente na Câmara dos Deputados em quase dois anos de mandato, o presidente da República, Michel Temer (MDB), fez, na manhã deste sábado, 28, elogios ao Poder Legislativo. Em discurso na 84ª ExpoZebu, em Uberaba, Minas Gerais, logo após a fala do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Temer disse que “tudo que foi feito (no mandato), foi feito em parceria com o Legislativo, que não é um apêndice do governo”.

+ PF quer análise da planilha 'MT'

Temer elogiou também o agronegócio brasileiro, setor considerado o principal responsável pela reversão do Produto Interno Bruto (PIB) do campo negativo para um crescimento de 1% no ano passado. Para falar sobre o tema, ele relatou conversas com o presidente da Argentina, Mauricio Macri, na Cúpula das Américas, em Lima (Peru) e avaliou que percebeu uma visão otimista o Brasil.

“O presidente Macri indagou como você (Temer) conseguiu uma inflação de menos de 3% (...), como conseguiu a reforma trabalhista e como você conseguiu que o agronegócio... Mas aí não dependeu de mim, dependeu de vocês. O agronegócio em geral tem sido um dos sustentáculos do PIB brasileiro”, disse. “No passado, (o PIB) era 3,6% negativo e subiu para 1%, ou seja, evoluímos 4,6(%). Neste ano a tendência é chegar a 3%, isso reconhecido pelas entidades internacionais”.

+ Só um irresponsável colocaria minha família como lavadora de dinheiro, diz Temer

Temer citou o discurso do presidente do Chile, Sebastián Piñera, em encontro ocorrido nesta sexta-feira, 27, para cobrar o cumprimento das instituições, da ordem normativa e a obediência à Constituição. “Nós temos os mesmos princípios, o da livre iniciativa, da liberdade para agir, do cumprimento das instituições. Se não tiver o cumprimento das instituições, você desorganiza a sociedade”, afirmou. “Nós precisamos ter muito presente a ideia do cumprimento muito forte e efetivo da ordem normativa, da Constituição Brasileira. Quando você sai do texto da Constituição Brasileira, você desorganiza a sociedade”.

No discurso na cidade do Triângulo Mineiro, Temer voltou a anunciar que aumentará o valor do Bolsa Família “para reincluir as pessoas na sociedade”, mas não informou qual será o novo benefício. Ele encerrou sem falar sobre a Medida Provisória (MP) que prorroga até 30 de maio a adesão ao Programa de Regularização Tributária Rural (Refis) do Fundo de Assistência do Trabalhador Rural (Funrural), prevista para ser publicada nesta segunda-feira, 30, no Diário Oficial da União.

+ Temer vai anunciar aumento do Bolsa Família nesta sexta-feira

Temer, no entanto, terá oportunidade de abordar o assunto na própria segunda, quando participará da abertura da 25ª Agrishow, a principal feira do agronegócio da América Latina, em Ribeirão Preto (SP). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.