Legendas disputam ''passe'' de Meirelles

Presidente do BC é considerado forte candidato em Goiás

Fernando Nakagawa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 00h00

Embalada pelos últimos acertos para a eleição municipal, teve início também a corrida para tentar atrair aquele que desponta como um dos mais fortes candidatos ao governo goiano nas eleições de 2010: Henrique Meirelles. Entre os partidos, o PP é o que mantém contatos mais freqüentes com o atual presidente do Banco Central (BC). Já há até um esboço para uma eventual chapa: Meirelles (pelo PP) como candidato e um petista como vice, provavelmente o deputado Rubens Otoni.Alheias à subida da inflação - que tira o sono de Meirelles -, as principais lideranças goianas começaram a se movimentar de olho na popularidade do presidente do BC em Goiás e no investimento que o ex-presidente mundial do BankBoston estaria disposto a fazer na campanha para o Palácio das Esmeraldas. O PP, aliado do governo federal e partido do atual governador, Alcides Rodrigues, foi o que mais se aproximou dele, tendo até promovido encontros em Goiânia.Essa aproximação é observada pelo PT e PMDB, que se uniram em coligação inédita para a reeleição de Íris Rezende à Prefeitura de Goiânia. A avaliação dos três partidos é que Meirelles se filie ao PP até 2009.Da eventual chapa de 2010 também participariam a deputada federal e mulher do prefeito de Goiânia, Íris Araújo, e a senadora Lúcia Vânia, que seriam candidatas ao Senado. Íris é do PMDB e Lúcia, hoje do PSDB, está disposta a migrar para o PP.Nas palavras de um deputado que colabora nas articulações, seria uma chapa "imbatível". Isso foi reforçado no início do mês, quando pesquisa do Instituto GPP mostrou que Meirelles tem imagem positiva para 53,9% dos goianos.O apoio do PT a ele era completamente impensável há alguns anos, quando o BC sofria ataques freqüentes da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas o quadro mudou nos últimos meses. O ápice da boa relação aconteceu no fim de maio, quando Meirelles recebeu a bancada petista no Congresso pela primeira vez em mais de cinco anos.Apesar do estágio das conversas com o PP, outros aliados de Lula não jogaram a toalha. Entre os que querem ser uma opção estão PR, PRB e PTB. Além de almejarem o apoio do candidato do presidente, consideram que Meirelles é um dos maiores puxadores de votos de Goiás.Nessa corrida, aliados e oposicionistas concordam que o azarão é o PSDB. Pouquíssimos apostam no retorno do presidente do BC ao partido escolhido por ele em 2002 para obter uma vaga na Câmara dos Deputados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.