Lavrador mata cinco parentes e se suicida

Movido por um ataque de fúria, o lavrador Carlos Alberto de Jesus, de 33 anos, assassinou a golpes de foice, cinco pessoas de sua família, entre elas três crianças. Após a chacina, ocorrida na zona rural de Ponte Nova, município a 185 quilômetros de Belo Horizonte, o lavrador se suicidou, atirando-se em frente ao um ônibus interestadual, na rodovia MG - 120, na altura do Km 611, morrendo na hora. Entre as vítimas de Carlos Alberto estavam sua própria irmã, Eva Santana, de 30 anos e a cunhada, Andréia Aguiar Teixeira, de 29. O lavrador assassinou ainda três sobrinhas: Solange Letícia Aguiar Ferreira, de 3 anos e as gêmeas Alessandra Ferreira de Jesus e Sandra Ferreira de Jesus, de apenas um ano e oito meses. As três meninas eram filhas de Andréia Aguiar. Débora Ferreira Teixeira, de seis anos, sofreu um corte profundo na cabeça e foi levada para o hospital Arnaldo Gazza Filho, em Ponte Nova. Segundo informações do hospital, ela deixou hoje o Centro de tratamento Intensivo (CTI), onde se submeteu a uma cirurgia de urgência, e seu quadro clínico era estável. Ao tomar conhecimento do crime bárbaro, outros parentes das vítimas entraram em estado de choque. Um irmão do lavrador precisou ser internado em um hospital da região. O motivo da chacina seria uma série de desentendimentos que Carlos Alberto vinha tendo com os parentes. De acordo com a Polícia Militar, o lavrador deixou um bilhete em que diz que não tinha nada a perder e se sentia perseguido e ferido por um dos membros da família. O bilhete, contudo, não foi endereçado, especificamente, a ninguém. Suspeita-se de que lavrador sofria de problemas mentais. Em clima de consternação, os corpos começaram a ser velados hoje mas a data dos enterros ainda não havia sido confirmada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.