Laudos mostram alta contaminação de chumbo em Bauru

A contaminação do solo ao redor da Indústria de Acumuladores Ájax, em Bauru, no interior paulista, é altíssima. A conclusão consta dos laudos das análises feitas pela Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Básico (Cetesb) em amostras colhidas no início de julho. Chegou-se a encontrar até 2.660 miligramas de chumbo por quilo de solo examinado - a referência da Cetesb é de no máximo 23,5 miligramas por quilo.O relatório recomenda a raspagem do solo nos pontos de maior concentração de chumbo, a pavimentação das ruas e passeios públicos, o plantio de grama nos quintais, a limpeza dos telhados e paredes dos prédios e a colocação de pisos de concreto nas casas. Outra recomendação é que se estenda o monitoramento da contaminação para além do raio de mil metros até agora examinado. Laudos anteriores, relativos a amostras colhidas a 20 centímetros da superfície, demonstraram contaminação baixa, o que afastou a hipótese de remoção dos moradores. A equipe multidisciplinar de médicos, psicólogos e outros profissionais de saúde continua acompanhando os 273 moradores da área que tiveram a contaminação do sangue confirmada. O Instituto Ambiental Vidágua, autor de uma ação contra a poluição emitida pela empresa, adverte que o nível alto provado dos últimos laudos exige providências imediatas. Nos próximos dias a Saúde Pública e a Cetesb deverão determinar as providências. O setor metalúrgico da empresa, que provocou a poluição, está parado desde janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.