Laudo prova irregularidades em estúdio da Globo

A roda gigante que fazia parte do cenário do programa ?Xuxa Park?, da Rede Globo, onde ocorreu um incêndio dia 11 de janeiro, era inadequada para o local. A constatação é do laudo complementar do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE).O laudo prova que as travas de segurança das cadeiras, fechadas com cadeados, dificultavam a saída de crianças com tamanhos acima da média. O delegado Zaqueu Teixeira, da 32ª DP (Jacarepaguá), responsável pela investigação do acidente, ocorrido no Projac, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, disse que pretende concluir o inquérito no dia 12 deste mês.Os técnicos da polícia chegaram à conclusão de que o vídeo com instruções de segurança, que costumava ser exibido para a platéia, antes do início das gravações, não continha informações específicas para que o estúdio fosse evacuado rapidamente em caso de acidentes. Ainda segundo os peritos, havia uma parede de madeira instalada no estúdio que atrapalhou a saída das pessoas que estavam sentadas nas arquibancadas. A polícia também considerou que o combate inicial ao fogo, feito pela brigada de incêndio do Projac, foi ineficaz.A Globo divulgou nota informando que ?a emissora tem certeza de que este é um processo longo e complexo, com visões diferentes a cada momento, como demonstram as divergências entre as versões técnicas que foram divulgadas e as que ainda serão apresentadas até o final deste processo?.Dos feridos, três pessoas - o segurança de Xuxa, Leonilson de Oliveira, de 47 anos, e as crianças Marcos Vinicius Ventura, de 5 anos, e Thamíres Gomes, de 7 anos - ainda continuam internadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.