Laudo emperra inquérito da queda de helicóptero do Pão de Açúcar

O inquérito policial sobre a queda do helicóptero do Pão de Açúcar na praia de Maresias, em São Sebastião, que deveria ser concluído em no máximo 2 meses, esbarrou no laudo do Departamento de Aviação Civil. O acidente, onde morreram a modelo Fernanda Voguel e o piloto Ronaldo Ribeiro, aconteceu no final do mês de julho. Segundo a assessoria de imprensa do DAC, o laudo está prestes a sair, mas não há data definitiva. A polícia diz estar de "mãos atadas" e tem que deixar o inquérito parado, pois precisa do laudo. "Toda semana questionamos o DAC sobre a conclusão", diz o investigador do inquérito, Edson Panelli Machado. "Eles disseram que pode demorar até um ano", disse o policial. Ele também informou que a polícia não pode concluir nada antes das provas serem apresentadas pelo DAC, já que os depoimentos do empresário João Paulo Diniz e do co-piloto não ajudaram em "quase nada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.