Landim e Leal devem ser ouvidos por comissão do STJ

O ministro Vicente Leal, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e o deputado federal Pinheiro Landim (sem partido-CE) devem serouvidos em breve pelos três ministros que integram a comissão desindicância aberta no STJ para investigar suspeitas de envolvimento de Leal em um esquema de venda de habeas-corpus a traficantes.A informação foi dada nesta terça-feira pelo presidente da comissão de sindicância, ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira, após uma reunião de mais de três horas ocorrida ontem no STJ com delegados da Polícia Federal e com o juiz da 5.ª Vara de Goiânia, Godinho Filho, responsável pelo processo no qual surgiram os indícios de participação de juízes com a suposta venda de decisões judiciais.Sálvio de Figueiredo informou que, além de ouvir Vicente Leal ePinheiro Landim, a comissão deverá pedir cópias de eventuaisdepoimentos prestados pelos desembargadores Eustáquio Silveira e Fernando Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1.ª Região, e pela juíza Vera Carla, mulher de Eustáquio. Os três foram citados em conversas gravadas pela Polícia Federal nas quais, supostamente, era tratada a venda de decisões.A comissão de sindicância recebeu cópia do inquérito criminalexistente atualmente no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar as suspeitas de envolvimento do deputado e do ministro do STJ com o esquema de venda de habeas-corpus. Os ministros Sálvio, Peçanha Martins e Rui Rosado deverão analisar os documentos e, na quinta-feira, haverá uma nova reunião da comissão. O tráfico e suas conexões

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.