Lampreia critica declaração de Lula sobre subsídios

O ex-ministro das Relações Exteriores e presidente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), Luiz Felipe Lampreia, criticou duramente o provável candidato a presidente pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, por este ter elogiado a política agrícola da Europa. "Recentemente, de maneira pouco compreensível, até para ele mesmo, o candidato Lula declarou sua admiração pela Política Agrícola Comum (PAC) e sugeriu que o Brasil fizesse o mesmo. Ora, nem o Brasil tem condições de aplicar a PAC e, fora o Lula, também não há dúvida de que a PAC traz prejuízo ao Brasil e distorce o mercado", disse Lampreia, ao abrir seminário sobre o assunto promovido pelo Cebri e dois centros de estudos internacionais franceses, Ceri e Sciences Po.De acordo com Lampreia, "a declaração de Lula foi extemporânea" e a opinião do Brasil, em geral, é de que a agricultura de nosso País é moderna e que, se houvesse desbloqueio de mercados por parte da Europa e Estados Unidos, poderia ocupar uma parcela muito maior do comércio internacional. Lampreia observou que eliminação das barreiras às exportações agrícolas brasileiras geraria renda, emprego e ajudaria a diminuir "a grande injustiça social do nosso País".Ele afirmou que de 1993 até este ano, a evolução das negociações internacionais sobre agricultura foi "praticamente zero". Disse que recentemente na rodada de Doha, no Catar, da Organização Mundial do Comércio (OMC), houve um fato novo significativo, que foi a aceitação pela UE e EUA de incluir a agricultura nas negociações. Ele observou ainda que os Estados Unidos estão "deixando de ser liberalizantes e se tornando cada vez mais protecionistas, tantro em termos de subsídios quanto, e fortemente, em acesso ao mercado". Além disso, disse que "nossos problemas com os Estados Unidos, fora o aço, são todos agrícolas: açúcar, suco de laranja, tabaco e outros".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.